Aborto Recorrente | Principais Causas e Diagnóstico

Quando uma mulher têm três ou mais abortos consecutivos, este fato  é classificado como abortos recorrentes, aborto de repetição ou aborto habitual.

A maioria dos médicos não inicia uma investigação antes do terceiro aborto de repetição, o que para quem está na linha de fogo,  que no caso somos nós mulheres que passamos por isso, soa um tanto cruel.

É preciso passar pela dor da perda por no mínimo 3 vezes para que os médicos cogitem que algo errado possa existir.

Existem muitas condições que podem levar a abortos recorrentes. 

Principais causas para o aborto recorrente ou de repetição

Aborto Recorrente | Principais Causas e Diagnóstico
Aborto Recorrente | Principais Causas e Diagnóstico
Vários factores podem ser a causa de abortos de repetição. Entre eles estão os imunológicos, infecciosos, genéticos, endócrinos e anatómicos.

Algumas mulheres podem ter condições que causem problemas com a coagulação do sangue, como a trombofilia por exemplo, ou ainda problemas genéticos que podem que dificultem a evolução do embrião ou mesmo cause má formação.

Outras mulheres podem ter problemas no útero ou mesmo disfunções hormonais importantes.

A insuficiência de corpo lúteo está directamente ligada a abortos espontâneos.
 
A produção deficiente de progesterona impede que o endométrio adquira espessura adequada para segurar a implantação do ovo fecundado.
 
É um fator comum em mulheres com ovários policísticos. Daí a grande necessidade de um tratamento sério e cuidadoso. Não basta ovular, a fase lútea tem de ser satisfatória.

Se os abortos acontecerem por volta das 20 semanas, é possível que o colo do útero seja fraco e não consiga se manter fechado com a evolução da gravidez, é a chamada incompetência istmo cervical. 

Outro fator que traz dificuldade ao desenvolvimento da gravidez é o útero com má formação ou formação anormal.  Ambas as  condições  podem levar a um aborto. 

Infecções uterinas, nas trompas ou mesmo vaginais , devem ser cuidadas o quanto antes para não interferir na fertilidade ou mesmo ser  causa de um aborto.

É o caso da clamídia, citomegalovírus, Toxoplasma gondii, Mycoplasma hominis e Listeria monocytogenes.

Outras infecções como a de urina que parece algo simples, também pode causar aborto ou parto prematuro.

Identificando a causa dos abortos habituais

Aborto Recorrente | Principais Causas e Diagnóstico
Aborto Recorrente | Principais Causas e Diagnóstico

O mais importante quando se trata de abortos recorrentes é identificar a causa.

Muitos dos problemas que causam abortos habituais são tratáveis, no entanto, isto nem sempre é o caso. 

É preciso ter atenção a alguns medicamentos utilizados para tratar doenças crónicas, medicamentos de uso contínuo.

Alguns desses medicamentos são demasiados fortes e acabam por impedir o desenvolvimento da gravidez.

Avise seu ginecologista caso faça uso de medicamentos de uso contínuo, ele avaliará se existe ou não impacto sobre sua fertilidade.

Muitas mulheres iniciam suas tentativas sem se darem conta que talvez, o tratamento já tão rotineiro, pode impedir a ocorrência ou mesmo interromper a gravidez precocemente.

É também possível que a causa dos abortos não seja detectável. 20 a 40% das mulheres que passam por abortos recorrentes estão incluídas nessa estatística. Nesta situação existe uma escolha difícil a ser feita.

Continua-se tentando, investigando  e mantendo a esperança de que em algum momento uma gestação progredirá normalmente, ou tentar outras formas para alcançar a maternidade, como a adoção por exemplo.


Veja também:

Novas descobertas apontam causas para abortos espontâneos recorrentes

Tratamento com Heparina para evitar aborto e natimorto

Aborto espontâneo | Consumo de cafeína aumenta em 25% as chances

Sexo na gravidez pode causar aborto?


Via: Mãe à Flôr da Pele

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *